Paralisação dos motoristas de ônibus é adiada para o dia 25

Strans poderá fazer cadastro de veículos alternativos.

Os trabalhadores rodoviários do sistema de transporte público de Teresina, que iriam paralisar as atividades amanhã (23). Contudo, o movimento foi adiado para a próxima quinta-feira (25). Dentre as reivindicações dos trabalhadores está a falta de manutenção dos ônibus, dupla jornada de trabalho, falta de segurança, atraso nas viagens, revisão e redução da frota, que tem provocado superlotação, aumento do tempo de espera nas paradas e, conquentemente, desemprego. A falta de fiscalização e a insatisfação dos usuários com o sistema também serão temas de cobrança ao poder público municipal. 

O Sindicato dos Trabalhadores de Empresas de Transportes Rodoviários do Piauí (Sintetro-PI) alega que o motivo que fez com que a paralisação fosse adiada foi conseguir mobilizar a maior quantidade de entidades ligadas ao movimento social, sobretudo associações de moradores de bairros e vilas que ainda não foram contempladas com as linhas de ônibus da licitação para o sistema de transporte público da capital. 

As entidades pediram mais tempo para poder levar para a paralisação a maior quantidade de associação de moradores daqueles bairros que não são assistidos pelas linhas de ônibus e não estão inclusos nas 94 linhas que constam na licitação”, afirma o vice-presidente do Sintetro-PI Ajuri Dias. 

O movimento paredista será realizado com ato público, a partir das 9h, deste dia 25 de setembro, na Praça da Bandeira, um dos principais pontos de embarque e desembarque das linhas de ônibus de Teresina no Centro da cidade. Os sindicatos filiados à Central Única dos Trabalhadores (CUT) e entidades do movimento estudantil também devem participar do movimento.

Ajuri Dias afirma ainda que o objetivo da paralisação é denunciar ao poder público acerca das precariedades que o sistema vem passando e evitar que com a licitação persista o sucateamento. “Vamos ainda cobrar do prefeito Firmino Filho a inclusão destas comunidades que não são atendidas pelo transporte público”, acrescenta o representante do Sintetro-PI. 

Hoje (22), representantes dos trabalhadores das empresas de transporte rodoviários de Teresina estiveram reunidos na Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (Strans) com o superintendente municipal de trânsito Carlos Daniel. “O superintendente mostrou estar disposto a conversar com o movimento sobre o atual sistema e vai intermediar esse diálogo com o prefeito. Mesmo assim, vamos continuar com o movimento marcado para esta quinta-feira. A ideia é que os ônibus pares, pelo menos, durante duas ou três horas”, frisou Ajuri Dias. 

Ainda durante a paralisação os trabalhadores que atuam nas empresas de transporte público de Teresina irão receber a colaboração de diferentes entidades da sociedade civil organizada no objetivo de construir um documento e encaminhá-lo ao prefeito Firmino Filho. 

Para evitar transtornos aos usuários, a Strans garante que planeja elaborar esquema especial para evitar que as linhas de ônibus deixem de circular durante a paralisação. Para isso, poderão ser feito cadastros de veículos alternativos. 

Repórter: Beto Marques - Jornal O DIA