PSDB nega que indicará nome para integrar a administração estadual

Deputado Firmino Paulo garante que a parceria PT-PSDB é apenas administrativa.

O deputado estadual Firmino Paulo (PSDB) negou que vai indicar o nome do próximo diretor da Companhia Metropolitana de Transportes Públicos, o Metrô de Teresina. A informação era comentada nos bastidores e dava conta de que com a expulsão do PTC do Governo, o nome do próximo diretor do órgão seria de indicação do PSDB. Em Teresina, PT e PSDB fazem uma parceria administrativa e pelo menos um integrante de cada partido já deixou claro o interesse em que a parceria também aconteça na política.

“É certo que o PSDB não vai indicar nenhum cargo no Governo do Estado. Hoje, as parcerias são administrativas. É necessário entender que necessário um diálogo entre quem administra o Governo e quem administra a Prefeitura de Teresina. Ambos precisam trabalhar para oferecer melhores serviços para a população”, frisou o deputado tucano, que é sobrinho do prefeito de Teresina.

Ainda antes de tomar posse, Wellington Dias deu sinais de que poderia entregar ao PSDB o comando da Saúde. No entanto, não se sabe se por pressões do Partido dos Trabalhadores ou mudança de opinião do governador, a indicação do PSDB para o cargo acabou não acontecendo.

Wellington Dias ofereceu ainda um cargo para o PSDB em uma diretoria da Agespisa, para que Estado e Prefeitura possam trabalhar juntos na busca por uma solução para os problemas na qualidade do abastecimento d´água na capital. Foi citado nome do engenheiro Francisco Gerardo para o cargo, mas até agora a nomeação não foi confirmada.

Firmino Paulo é do PSDB, mas faz parte da base de apoio do governador Wellington Dias na Assembleia Legislativa e nas eleições para presidência da Casa, que dividiu a bancada tucana na Alepi, ele declarou voto em Fábio Novo do PT.

Fonte: João Magalhães - Redação Jornal O Dia