TJ vai cortar diárias e hora extra para pagar reajuste de servidores

Impacto nas contas do judiciário será de R$ 19 milhões anuais.

A greve dos servidores do judiciário do Piauí terminou nesta quarta-feira (04), mas pode deixar um legado de arrocho para os próximos meses. A estimativa do presidente do Tribunal de Justiça, o desembargador Raimundo Eufrásio, é de que o impacto seja de R$ 19 milhões anuais, considerando o aumento de 5,31% já previsto pela lei do subsídio, mais 9% concedido após acordo com o sindicato.

Segundo o desembargador, para cumprir a folha de pagamento, será preciso economizar na verba de custeio e cortar diárias e horas extras. “A gente faz um planejamento, que é de onde se está para onde se deseja chegar. Não ficamos no gume, foi na navalha mesmo”, disse Raimundo Eufrásio.

A greve dos servidores durou oito dias e o presidente do TJ já tinha elaborado a documentação para pedir a ilegalidade do movimento. “Começamos a negociação oferecendo 5%, fomos subindo e, para mim, o limite era 8%, mas o corregedor Sebastião Martins me convenceu a dar mais 1% e resolver o impasse”, disse Eufrásio. O TJ também planejava cortar o ponto dos servidores, desde o dia em que a greve teve início.

O reajuste será dado a partir do mês de maio e a categoria também conseguiu 33% a mais no auxílio-saúde; a realização de concurso público para todos os níveis – a ser realizado ainda este ano; e a reestruturação do plano de cargos e carreiras de todos os servidores do TJ.

Fonte: Nayara Felizardo - Redação Portal O Dia