Prefeitura monitora áreas afetadas pelas chuvas em todas as regiões de Teresina

Casas, ruas, avenidas e BRs estão sendo monitoradas pelos órgãos municipais

O prefeito Firmino Filho voltou a visitar, na manhã de hoje (10), os pontos mais afetados pelas chuvas em Teresina: rua Orquídea e BR 343 na zona leste, e avenida Joaquim Nelson, na zona sudeste. Segundo a Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação (Semduh), as chuvas que caíram ontem (09) atingiram 21 residências na capital, sendo 13 na zona norte.

A coordenadora de Habitação da Semduh, Rogéria Sousa, afirma que as famílias foram retiradas dessas casas e levadas para residências de parentes e amigos.

"As equipes de Supervisão de Habitação estão monitorando esses pontos de maior risco em todas as regiões de Teresina. Com a chuva de ontem, foram identificadas 21 unidades em risco e as famílias foram retiradas e levadas para casas de parentes e amigos. A situação dessas famílias será avaliada e as que não tiverem condições de retorno serão incluídas no programa Cidade Solidária", afirma Rogéria Sousa.

O programa Cidade Solidária possui duas linhas de atuação: Família Solidária e Residência Solidária. Na Família Solidária, a pessoa acolhida indica um familiar ou amigo que pode lhe receber enquanto a situação de risco dura e a Prefeitura repassa uma ajuda de custo no valor de R$ 180. Já na Residência Solidária, a pessoa identifica um imóvel no valor de até R$ 180 para alugar e a Prefeitura banca a despesa por seis meses. Nas duas situações, a família recebe cesta básica, kit limpeza e kit acolhimento.

Para a família acolhida é disponibilizada ainda uma cesta básica por mês, durante os seis meses, e ainda kit limpeza e kit acolhimento,caso seja solicitado. No ano passado, segundo a Semtcas, 139 famílias teresinenses, que estavam em moradias com situação de risco, foram atendidas pela Prefeitura.

“Com as últimas chuvas na capital, a Defesa Civil esteve procurando os Cras e solicitando visita domiciliar às famílias que sofreram maiores danos com as chuvas. É importante esclarecermos que esse procedimento agiliza o atendimento às famílias. Os encaminhamentos seguem um fluxo que passa da Defesa Civil para as SDUs, Semduh e Semtcas. Essa articulação imediata da Defesa Civil com os Cras foi para atender as necessidades mais urgentes e articular junto às famílias e a comunidade formas de protegê-las da situação de vulnerabilidade que as mesmas se encontravam", explica a Chefe de Divisão de Articulação da Semtcas, Selene Lima.

Fonte: Assessoria de Imprensa PMT