Monsenhor Chaves será o homenageado no Salipi

Thalita Rebouças - uma das presenças confirmadas para o Salipi 2015
A 13ª edição do Salão do Livro do Piauí (Salipi) vai acontecer entre os dias 5 e 14 de junho, no espaço Rosa dos Ventos da Universidade Federal do Piauí (UFPI). O evento obedece aos mesmos padrões adota-dos no ano passado com o objetivo de atrair um público maior e mais diverso. O tema deste ano será "A leitura nutre a inteligência" e o homenageado Joaquim Raimundo Ferreira Chaves - o Monsenhor Chaves.

Durante os 10 dias, o público contará com palestras, lançamentos de livros, oficinas e estandes de vendas. A planilha com os nomes dos possíveis palestrantes ainda está aberta, mas a Fundação Quixote, que organiza o salão, adianta que Thalita Rebouças será uma das presenças. Natural do Rio de Janeiro, a escritora e jornalista escreve livros direcionados ao público adolescente. É a escritora que mais vende livros neste segmento no país.

O Salipi deste ano também contará com os bate papo literários e Cheque-Livro, uma das portas de acesso ao mundo da leitura. O Cheque - Livro é um impresso no valor de R$ 5,00, comprado pelas Secretarias de Educação - Estadual, Municipal e distribuído para os alunos. Na feira as crianças e jovens usam o chequinho para comprar livros e depois os livreiros trocam o impresso pelo dinheiro, via Fundação Quixote, sem custos adicionais ou cobrança de taxas bancárias.

A professora Edilva Barbosa, uma das coordenadoras do salão, afirma que a montagem dos estandes acontecerá daqui a duas semanas. A ideia é se preparar antecipadamente para surpreender o público. "Teremos muitas novidades e os palestrantes irão surpreender as pessoas", destaca.

O presidente da fundação, Kássio Gomes frisa que o salão "promove a democratização da leitura e diminui as barreiras existentes entre o leitor e o escritor". O Salipi, consolidado na agenda cultural do Estado, é realizado, anualmente, desde 2003, em Teresina. No início, era um experimento de alguns professores que resolveram juntar-se e organizar um evento literário, formando mais tarde, em 2005, a Fundação Quixote.

Fonte: Redação Diário do Piauí