Prefeito e secretários doam sangue para reforçar o estoque do Hemopi

Hemocentro está com o estoque prejudicado por conta do elevado número de viroses

O prefeito Firmino Filho e um grupo de secretários municipais foram cedo ao Hemopi doar sangue. O objetivo foi reforçar o estoque do Hemocentro, que estava em baixa por conta das viroses que têm acometido os teresinenses. Essa é a segunda doação que o prefeito faz somente esse ano. Em janeiro, o chefe do executivo municipal compareceu ao Hemopi juntamente com um grupo de vereadores. 

Segundo o prefeito, é importante que a população possa se mobilizar e se tornar doadora assídua do Hemopi. “O Hemopi se torna o porto-seguro para o nosso sistema de saúde. É daqui que sai o sangue que abastece as pessoas de todo o Estado. Mais do que um gesto de humanidade, é um gesto de solidariedade”, ressaltou. Firmino Filho é doador há mais de quatro anos e tem tipo sanguíneo A positivo.

O diretor do Hemopi, Jurandir Martins, explicou que o Hemocentro tem tido queda no número de doações devido às viroses, Chikungunya e a Zyca. “Tivemos uma queda em torno de 20% ou 30% no número de doações, nesse período em que as pessoas estão com as viroses e ficam impedidas de doar. Por isso, gestos como esse do prefeito e da sua equipe é muito importante para nós, sobretudo porque incentiva outras pessoas doarem. Somente esse ano, essa é a segunda vez que o prefeito faz sua doação e nós, e a população beneficiada, só temos a agradecer. O Hemopi precisa de sangue diariamente porque abastecemos tanto a capital quanto os 224 municípios do Estado”, destaca.

Atendendo ao chamado do prefeito, o secretário municipal de Esportes e Lazer, Galba Coelho, destacou que também já é doador de sangue e que sempre incentiva seus alunos a doarem. “Esse é um gesto importante, principalmente nesse período em que há essa queda no número de doações. Doar sangue é um gesto nobre, onde podemos salvar vidas, ajudamos sem saber quem estamos ajudando”, diz ele.

Doadora pela primeira vez, a presidente do Instituto de Assistência e Previdência do Município (IPMT), Lourdes Rufino, destacou que atendeu ao chamado do prefeito por entender a importância da ação. “É uma atitude louvável. É um gesto bonito de solidariedade e que, por sermos gestores, nossas ações acabam sendo espelho para um segmento significativo da sociedade, que está sendo incentivada a comparecer ao Hemopi e doar”, observa.

Compareceram ainda ao Hemopi os secretários Luciano Nunes, Mauriceia Carneiro, Aparecida Calland, Aluísio Sampaio, Márcia Santos, Câncio Júnior, Weldon Alves, Fábio Nery, Paulo Lopes, e outros. O Hemopi funciona de segunda a Sábado, das 7:00 às 18:00 horas e fica localizado na Rua 1º de maio, 235/sul. O telefone para maiores informações são (86) 3221-4989/3221-8319/ 0800 285-4989.

Quem pode doar

Para ser um doador de sangue basta que a pessoa tenha entre 16 e 69 anos (menor de 18 anos apresentar Termo de Consentimento assinado pelo responsável legal), pesar mais de 50 kg, estar saudável e alimentado, apresentar documento oficial com foto. No caso dos homens, a doação pode ser feita a cada 2 meses e no máximo 4 doações em 12 meses. Já as mulheres podem doar a cada 3 meses e no máximo 3 vezes em 12 meses.

Só não pode doar sangue quem teve hepatite após os 11 anos de idade, mulheres grávidas ou amamentando, cujo leite materno seja o único alimento da criança, quem passou por cirurgia cardíaca, quem teve câncer, quem teve relações sexuais com múltiplos parceiros nos últimos 12 meses, usuários de drogas, pessoas com HIV, hepatite, sífilis e doença de chagas. Antes de doar é importante dormir bem na noite anterior à doação, não ingerir bebida alcoólica nas últimas 12 horas antes da doação, alimentar-se bem, evitando alimento gorduroso e aguardar 2 horas após o almoço, para doar. Além disso, o doador não pode fumar 2 horas antes e 2 depois da doação e procurar ficar tranqüilo e relaxar.

Fonte: Assessoria de Comunicação PMT