Feira de Economia Solidária reúne cerca de 80 pequenos produtores.

A feira acontece na Rua Climatizada até sexta-feira (05).

A diversidade do artesanato produzido por nossos pequenos produtores está sendo exposto e comercializado até sexta-feira (05) na Rua Climatizada. Essa edição da feira de Economia Solidária, apoiada pela Prefeitura de Teresina, concentra o trabalho de aproximadamente 80 artesãos. A feira tornou-se tradicional no centro da capital e acontece sempre na primeira semana de cada mês, valorizando a rica produção desses microempreendedores.

Quem passar pelo local vai poder apreciar e adquirir produtos feitos artesanalmente por cooperativas, associações e núcleos de produção assistidos através da Secretaria Municipal de Economia Solidária (Semest). Dentre as peças estão os bordados delicados criados pela Associação da Central de Compras das Bordadeiras de Teresina (ACCBT) e pelo Grupo de Mulheres Bordadeiras do Parque Piauí.

As biojoias feitas pelas mulheres que compõe a Associação Bioart também ganham destaque nessa feira. É um trabalho sustentável e criativo que resulta em peças desenvolvidas a partir do uso de elementos naturais como sementes e fibras.

Outro exemplo de trabalho valoroso que pode ser visto na Rua Climatizada são as cerâmicas produzidas pelo Polo Cerâmico do Poti Velho, artesanato reconhecido internacionalmente pela sua beleza e qualidade. Além disso, a feira reúne ainda peças em crochê, tecelagem, bonecas de pano, bolsas de tecido e biscuit.

Cícero Oliveira é um dos produtores que integram mensalmente a feira da Rua Climatizada. Ele faz um trabalho direcionado para a produção de peças de tecelagem, uma prática que requer muita habilidade. Segundo seus cálculos, em cada edição é possível vender uma média de 100 peças. “Os preços dos produtos variam de 5 a 50 reais. Todo mês a feira aqui é boa pra mim. Consigo fazer um bom faturamento e chego a vender cerca de 100 peças”, conta ele.

A artesã Rosa Ferreira, da Associação Arte Popular, também leva sua produção para a feira mensalmente. Ela produz uma variedade de peças, como acessórios de cabelo, pratos decorativos, velas e sabonetes artesanais. “Essa feira aqui me ajuda muito a divulgar e vender meu trabalho. O melhor de tudo mesmo é fazer a divulgação, porque, a partir disso, recebo muitas encomendas. Todos os meses eu estou aqui, porque tenho, sobretudo, compromisso com a feira”, disse a produtora, que há mais de 10 anos faz Economia Solidária na cidade.

O gestor da Semest, Olavo Braz, explica que algumas edições dessas feiras costumam reunir mais de 100 pequenos produtores locais, sendo esta uma das estratégias de apoio articuladas pela Prefeitura de Teresina.

“A Secretaria Municipal de Economia Solidária foi instituída nesta gestão do prefeito Firmino Filho com o intuito de apoiar de modo mais consistente o trabalho desses pequenos produtores, que possuem um papel muito importante para a economia local, já que são responsáveis por abastecer o mercado interno e gerar renda para muitas famílias. Essa questão das feiras, de divulgar e comercializar a produção desses grupos, é uma das formas de incentivo que damos a esses artesãos, porque, além disso, damos assistência no aspecto da produção e do microcrédito através do Banco Popular”, pontua o secretário. 

Fonte: AsCom PMT