Escola vira depósito de produtos roubados

Unidade Escolar Desembargador Vaz da Costa está fechada há três anos
Desde 2013, moradores do bairro Buenos Aires, zona Norte de Teresina, cobram a reforma da Unidade Escolar Desem-bargador Vaz da Costa, escola pública que funcionava no bairro e que, atualmente, está de-sativada. Os moradores reclamam inclusive do aumento da violência na região, já que as antigas instalações da escola são utilizadas para esconder produtos roubados e também por usuários de drogas.

Ex-aluna da escola, a estudante Fabiele Lopes conta que a escola foi fechada em 2013. "Está fechada desde 2013. Eu estudei lá por cinco anos e depois que fechou os alunos foram encaminhados para o Cristino", conta a estudante, referindo-se à Unidade Escolar Cristino Castelo Branco, que hoje absorve a demanda de alunos que eram do Vaz da Costa. Fabiele conta que, ao longo dos últimos anos de funcionamento, havia poucos alunos na Unidade Escolar Vaz da Costa, por problemas de estrutura na escola.

O pai de Fabiele e dono de um bar em frente ao antigo colégio, Francisco Lopes, explica que o abandono da escola causa problemas em relação à violência. "As coisas acontecem em todo lugar. Um colégio desse jeito atrai todo tipo de gente. É cheio de pessoas todo tempo", explica Francisco Lopes, apontando para a frente da escola que hoje está fechada, mas que ainda tem um acesso lateral aberto.

Na rua em frente ao acesso que ainda está aberto, o encarregado de obras Eliomar Lima reclama que há horários em que o espaço da antiga escola é ocupado por usuários de drogas. "Disseram que iam reformar e nunca fizeram. Próximo das 4 horas da tarde, muitas pessoas ficam usando drogas no prédio da escola. Todo roubo que acontece eles correm para o colégio e se escondem", disse o encarregado de obras. Eliomar Lima conta ainda que há horários que as pessoas não podem andar na rua por medo de assaltos.

"Essa rua, quando dá 7 horas, fica deserta porque ninguém anda por medo da violência". Para o encarregado de obras, poderia haver por parte do governo do Estado um cuidado mínimo com a escola para que ela fosse preservada. "Se eles pelo menos fechassem o muro e passassem uma cerca elétrica, já ajudava", ressalta Eliomar Lima. 

Sobre o abandono da unidade escolar, a Secretaria Estadual de Educação (Seduc) informou que se encontra em análise, no setor de engenharia, a utilização do prédio para outras atividades. "A Seduc recebeu pedidos de liberação do espaço para funcionamento do Sistema Nacional de Empregos (Sine), da Obra Kolping e Pelotão Mirim", informou a Seduc. Outra possibilidade seria a utilização da unidade como anexo da Unidade Escolar Cristino Castelo Branco, com a construção de quadra poliesportiva e laboratórios. "No momento, enquanto não há uma definição legal, o local encontra-se fechado, porém com limpeza e capina sendo executadas regularmente", finaliza a Secretaria. 

Sobre a desativação da unidade escolar, a Secretaria de Educação informa que o prédio foi desocupado após a reforma da escola Cristino Castelo Branco, que fica no mesmo bairro da zona Norte de Teresina. Dessa forma, de acordo com a Seduc, não havia necessidade de duas escolas, de 5ª a 8ª séries, tão próximas. 

Fonte: Diário do Povo do Piauí