Teresinense se adequa às novas normas

Passageiro abre bagagem de mão, conforme determina as novas normas da ANAC
Quem costuma utilizar frequentemente os serviços aéreos foi pego de surpresa com as novas medidas adotadas pela Infraero, conforme exigências determinadas pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC). A partir da última segunda-feira (18), passaram a valer as no-vas determinações da ANAC com o objetivo de garantir uma maior segurança dos passageiros. No Brasil, essas determinações são normatizadas, segundo a ANAC, pelo Regulamento Brasileiro da Aviação Civil número 107, que aborda a segurança na aviação civil.

Segundo a assessoria de imprensa da Infraero, sediada em Brasília, o órgão apenas cumpre as medidas determinadas pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC). Em nota produzida pela ANAC e publicada no site da Infraero, foi tornado público que a partir do 18 de julho (segunda-feira) os passageiros devem atentar-se para as novas normas de segurança. Entre os procedimentos adotados estão, revista física ou passagem pelo pórtico, retirada do notebook da bagagem de mão rotineiramente levada pelo passageiro, e abertura da bagagem de mão antes do embarque.

Ainda segundo a ANAC, é recomendado que os passageiros cheguem ao aeroporto mais cedo, para evitar atrasos e até mesmo perder os voos. A orientação é que os passageiros de voos domésticos cheguem ao aeroporto com pelo menos uma hora e meia ou duas horas de antecedência, e no caso de voos internacionais, com três horas de antecedência. De acordo com a Infraero, o aeroporto Senador Petrônio Portela, localizado na capital piauiense, até o momento, não registrou transtornos e longas demoras para o passageiro que utiliza o transporte aéreo.

Paloma Torres, 27 anos, professora, revela que ficou sabendo das mudanças, na última terça-feira (19), por intermédio de amigos e afirma não ter encontrado transtornos no Aeroporto de Teresina, Senador Petrônio Portella. "Eles me alertaram que era pra eu chegar duas horas antes da saída do voo, e aí, eu cheguei duas horas antes, foi tudo tranquilo em relação ao atendimento". 

A professora vê como positiva a determinação da ANAC. "Eu acho importante para aumentar a segurança nos aeroportos em geral, sendo uma decisão que esteja valendo em todos os aeroportos do Brasil, não limitando apenas ao eixo Rio-São Paulo. O procedimento que eu enfrentei foi relativamente rápido", revela.

Fonte: Redação Diário do Povo do Piauí