Wellington vai tentar acordo com presidente Michel Temer

O governador Wellington Dias (PT) informou que vai trabalhar para tentar harmonizar as relações entre o governo do Estado e o Governo Federal. "Sou o governador do Piauí, como ele é presidente. Devemos continuar com as pautas do governo do Piauí e cobrar do Governo Federal. Então, vamos trabalhar numa pauta com dois níveis de governo que têm interesses comuns", disse Wellington Dias, referindo-se ao presidente Michel Temer (PMDB).

"No fórum dos governadores tenho trabalhado a pauta do Estado e a necessidade de compensação de recursos para que eles sejam repassados, como recursos de impostos recolhidos que não chegaram ao Estado, recursos de repatriação, recursos da lei Kandir, que tratam de exportação, que no Piauí são relativamente baixas, e também a necessidade de compensação por esforço fiscal", disse ontem o governador, na solenidade em que recebeu o Cônsul Geral dos Estados Unidos, Richard Reiter, e o cônsul principal do Japão em Belém (PA), Masahiko Kobayashi, no Palácio de Karnak.

O governador falou que está à frente de uma campanha junto aos governadores do Nordeste, do Norte e de alguns estados do Centro-Oeste em busca de uma operação de socorro financeiro para evitar atrasos em salários do funcionalismo e pagamentos de fornecedores. Os governadores querem que o Governo Federal possa dar uma compensação aos Estados que possuem menos dívidas.

"O acordo pelo alongamento das dívidas dos estados não beneficia o Piauí, porque o Piauí não tem dívidas com a União. O Piauí tem, com outros estados do Nordeste, do Norte e do Centro Oeste, uma cobrança para que haja uma participação de ajuda do Governo Federal. Num entendimento conseguimos R$ 7 bilhões de auxílio emergencial. E a abertura de crédito para que a gente tenha condição de prestar bem os nossos serviços e garantir condições de investimentos, para gerar emprego e renda", argumentou o governador Wellington Dias.

Fonte: Diário do Povo do Piaui