Centro de Atendimento Multidisciplinar será inaugurado nesta segunda-feira (21)

Centro tem objetivo acompanhar alunos diagnosticados com transtorno e ou dificuldade de aprendizagem

Crianças e adolescentes de Teresina que apresentam algum transtorno ou dificuldade de aprendizado agora têm um espaço referenciado para atendimento e acompanhamento. O primeiro Centro Municipal de Atendimento Multidisciplinar (CMAM) de Teresina será inaugurado nesta segunda-feira (21), às 8h30.

O projeto visa acompanhar e tratar educandos da rede pública de ensino, entre 05 e 14 anos, diagnosticados com transtorno e ou dificuldade de aprendizagem. O CMAM é resultado de uma parceria entre a Fundação Municipal de Saúde (FMS) e Secretaria Municipal de Educação (SEMEC) e tem como objetivo contribuir para a inclusão educacional e social do aluno.

Ele oferece atendimento terapêutico com multiprofissionais: psicologia, fonoaudiologia, psicopedagogia, serviço social, educadores físicos, terapia ocupacional, neuropediatria e psiquiatria.

O Centro Municipal de Atendimento Multidisciplinar (CMAM) iniciou os tratamentos de alunos de 70 escolas públicas da capital, com uma média de 355 atendimentos médicos e 1.968 sessões terapêuticas, das quais 70 crianças estão participando de atividades multidisciplinares terapêuticas diariamente. O Centro atende nos turnos manhã e tarde, das 7h às 11h e de 13h às 17h, na Rua Desembargador Freitas, Edifício Paulo VI, centro da capital.

As crianças passaram por um atendimento médico para diagnóstico e passam a seguir o plano terapêutico específico para cada uma delas. De acordo com a coordenadora do Centro, Daniela Coutinho, cada criança tem um horário marcado e a família recebe auxílio-transporte para o deslocamento nos dias de atendimento.

“Recebemos alunos com os mais variados transtornos, desde hiperatividade a traumas emocionais. Eles recebem todo o apoio da equipe multidisciplinar para a superação das dificuldades”, explica. Daniela alerta, ainda, para a necessidade de a família garantir que o tratamento seja completo. “As crianças não podem faltar aos dias de atendimento. O tratamento tem que ser levado a sério para que traga os resultados esperados no processo de desenvolvimento desses educandos”, destaca.

Fonte: AsCom