“Uber feminino”: Teresinenses criam App de transporte exclusivo para mulheres

O TuiGO foi desenvolvido em Teresina para motoristas e passageiras mulheres se sentirem mais seguras; o aplicativo está em fase de adaptação e deve sair oficialmente em maio

Nem sempre as mulheres se sentem à vontade para fazer uso de aplicativos que disponibilizam serviço de transporte, principalmente por desconhecerem o condutor do veículo. Da mesma forma, motoristas mulheres não sentem total segurança para fazer viagens com homens que não conhecem e não sabem a índole.

A partir dessa situação, surgiu a ideia de um aplicativo de mulheres para mulheres. Foi o que originou o TuiGO, um aplicativo cujo objetivo é garantir segurança tanto para a motorista quanto para a passageira. Daniela Muniz, motorista de Uber em Teresina, foi o pontapé desta história. Ela não se sentia segura por não saber que passageiro ela iria pegar ou o destino final. Mesma angústia da motorista, passageiras também sentem receio quanto ao condutor.

“Tem mulheres que têm receio de trabalhar no Uber porque é para pegar qualquer passageiro, e em qualquer lugar. E tem a questão de ser homem, e você não conhecer a pessoa, e não ter alguém conhecido. Dá aquele receio. Você não sabe a índole das pessoas”, disse a motorista ao OitoMeia.

Além da questão da exclusividade feminina, o TuiGO tem outra diferença dos aplicativos convencionais de transporte. O primeiro está na seletividade. Apenas mulheres convidadas por outras que já usam do serviço podem ter acesso. Não se trata necessariamente de um aplicativo no sentido convencional, mas de uma rede colaborativa por WhatsApp e Facebook.

O desenvolvedor da ferramenta, Gabriel Freitas, teve a ideia após conhecer Daniela. Ele conta que se trata de uma ação de mobilidade urbana que é diferente dos aplicativos convencionais que se faz o download nas plataformas específicas; se trata de um sistema de robôs.

“Não é qualquer pessoa que entra e tem acesso direto, como os aplicativos Uber e 99. Para você fazer parte, tem que fazer parte da fila de espera ou ser convidada. Não é um aplicativo para baixar, ele funciona de duas maneiras através de robôs. A primeira maneira são bots no Messenger, do Facebook, onde você conversa, faz toda a interação, e consegue pedir o carro. E também por um bot no Whatsapp, que você conversa com ele e bota lá que quer um tuigo, ai ele vai te fazendo perguntas para entender o pedido que você quer ir e te mandar a motorista”, explica ao OitoMeia.

TUIGO ESTÁ EM FASE EXPERIMENTAL; APLICATIVO DEVE SAIR EM MAIO

O aplicativo está funcionando em fase beta, ou seja, de testes e adaptações. Mas as mulheres interessadas já podem procurar a seleção via Facebook. Quem é convidada para participar do aplicativo tem direito a convidar cinco mulheres, que terão o acesso ao TuiGO.

Gabriel conta que o TuiGO, diferente de outros aplicativos de transporte, não cobra valor adicional. “A gente cobra um valor fixo, e não percentual, então nossas corridas terminam sendo mais baratas que a Uber, calcula apenas a distância”, explica.

Atualmente, só é possível ter acesso ao TuiGO por contato do WhatsApp ou Facebook, mas o desenvolvedor planeja lançá-lo em maio como aplicativo convencional. Nesta fase inicial, também só está sendo realizado o pagamento por dinheiro. A opção de pagamento em cartão de crédito deve vir com o lançamento do aplicativo oficialmente.

“TEM GENTE QUE QUER DAR CANTADA, AQUI NÃO É LUGAR PARA ISSO”

O assédio é um dos aspectos que fazem as mulheres terem receio de andarem com homens desconhecidos. Há uma semana, o TuiGO está funcionando. Nas pesquisas iniciais, os desenvolvedores identificaram que muitas mulheres têm vontade de ser motoristas, mas não viam segurança nos demais serviços de transporte por aplicativo.

Daniela diz que ouve de passageiras que têm receios de pegar outros aplicativos de transporte onde não se conhece o motorista, ou de pedir para filhas mais novas por conta de casos de assédio. “Tem gente que diz que quer, por exemplo, para a filha de 15, 16 anos. Tem profissionais que trabalham super bem no Uber, mas também tem gente que quer dar uma cantada, e eu acho aqui que não é lugar para isso”, pontuou.Daniela Muniz conta que, com a novidade, as mulheres têm se sentido à vontade de andar no carro em que uma mulher é a condutora. “Você se sente mais segura, porque você vai estar pegando outra mulher. Como é por convite, já é conhecida de alguém, já é alguma coisa mais segura, eu sinto dessa forma”, relata.

PLATAFORMA QUER INCENTIVAR PROFISSIONAIS E PASSAGEIROS

A fase de testes começou há uma semana. Atualmente, existem 30 motoristas fazendo o serviço, mas o desenvolvedor conta que em breve, vai liberar cadastro para novas motoristas. Gabriel conta que o dispositivo preza por um padrão de qualidade. “Queremos manter o padrão de qualidade, manter padrão de carro, boas condições, as motoristas fazem uma mini entrevista com uma psicóloga, então a gente faz esse acompanhamento de perto”, disse.

Gabriel também conta que o objetivo é de criar uma rede de parceria que valorize os passageiros que mais utilizam o aplicativo e as motoristas que mais atendem. “Se a gente pega Uber 10 vezes no mesmo dia, mesmo se usar com muita frequência, é tratado como usuário normal. Nossa ideia é dar um diferencial, oferecer benefícios para os usuários mais ativos, tanto como motorista. A gente tem uma rede de parceiros, como salão de beleza, centro automotivo, lojas de roupas, estética, e etc., e eles dão desconto e promoções exclusivos para clientes TuiGo”, finaliza.

Publicado por: Roberto Araújo
Repórter: Roberto Araújo 
Oitomeia