Banco Popular de Teresina empresta mais R$ 2 milhões para pequenos empreendedores em 2020

O Banco Popular de Teresina, vinculado à Prefeitura, fecha o ano de 2020 com valor total de empréstimos superior a R$ 2,6 milhões. Os recursos foram destinados para empreendedores de várias áreas ligados à economia solidária e criativa, como artesãos que trabalham com arte santeira, bordados, confecção de bonecas, roupas, entre outros. Devido à pandemia, o banco adotou várias medidas para ajudar os pequenos negócios.

Em 2020, entre as categorias mais beneficiadas com os empréstimos estão confecção de roupas, que totalizou R$ 823.800,00; revenda de cosméticos com R$ 255.600,00; mercearias, com R$ 141.500,00; e vendas de alimentos, setor que recebeu R$ 38.500 em créditos. Outras áreas beneficiadas foram vendas de eletroeletrônicos, venda de livros, salão de beleza, ateliê de costura, venda de bebidas e comércio de joias.

“Nosso objetivo com o Banco Popular foi sempre impulsionar o crescimento dos microempreendedores de uma forma mais acessível para eles. Durante todos esses anos realizamos um trabalho consolidado no mercado e conseguimos auxiliar milhares de pessoas na capital, gerando renda e fomentando o empreendedorismo da nossa cidade”, ressaltou o secretário da Semest, Ricardo Bandeira.

Ele ressaltou que o Banco Popular mudou várias regras para ajudar os microempreendedores desde o início da pandemia. A carência para início dos pagamentos aumentou para 120 dias, o parcelamento dos contratos de capital de giro subiu de 10 para 12 vezes e foi suspensa a cobrança das parcelas até o próximo dia 31 de dezembro. Também foi definida a não cobrança de juros e multa nas parcelas dos contratos que estavam adimplente até fevereiro de 2020, medida válida até o dia 31 de dezembro deste ano.

“Além disso, criamos o projeto Capacitando para Empreender, uma parceria com a Fundação Wall Ferraz para a capacitação dos empreendedores com cursos técnicos e para ajudar na elaboração de planos de negócios”, acrescenta o gerente do Banco Popular, Michel Sena.

Outra iniciativa envolvendo o banco foi o projeto tecnologia comercial criativa, uma parceria entre a Semest, Fundação Wall Ferraz e Semdec, criado com o objetivo de capacitar e inserir os empreendedores no universo das vendas online como uma forma de enfrentar o período da pandemia.

Para a expansão da instituição, foi criada uma nova unidade do Banco Popular no Shopping da Cidade, com o objetivo de atender o maior número de pessoas na área do empreendedorismo e aumentar o número de serviços oferecidos pelo shopping. Além disso, dentro do projeto de modernização foi criado um sistema de gestão do Banco, que pode ser acessado de qualquer lugar, através da internet, e oferece serviços online para os clientes. “Todos esses projetos foram realizados para que o pequeno empreendedor pudesse passar por esse período de pandemia com menos dificuldades”, ressaltou Ricardo Bandeira.

Nos últimos quatro anos, o Banco Popular de Teresina (BP) já concedeu empréstimos de mais de R$ 8 milhões.

Fonte: AsCom / SEMEST