Projeto da Prefeitura atende mulheres em situação de vulnerabilidade social

A unidade do Amor de Tia da zona Sudeste, localizado no Alto da Ressurreição, tem um diferencial: o serviço conta agora com o Espaço Empodere-se totalmente revitalizado, que foi visitado pelo prefeito Firmino Filho nesta segunda-feira (28). O anexo será utilizado pelas mulheres assistidas pelo serviço como local de qualificação e bem-estar. O prédio onde foi construído o anexo estava ocioso e o investimento na reforma foi de R$ 150 mil, com recursos próprios do município.

O Serviço de Atendimento Integral às Mulheres e suas Crianças: Amor de Tia é um projeto da Prefeitura de Teresina, coordenado pela Secretaria Municipal de Políticas Públicas para as Mulheres (SMPM). O objetivo é atender mulheres em situação de vulnerabilidade ou violência através do desenvolvimento de atividades que promovam qualificação profissional e empoderamento feminino, além de estimular o desenvolvimento psicossocial de crianças de 1 ano a 2 anos e nove meses.

De acordo com o prefeito, o serviço busca oferecer atenção a mães e seus filhos em uma abordagem integrada. “Já temos três unidades desse projeto em funcionamento, uma na zona norte, uma na sudeste e outra na comunidade Salobro, zona rural, e mais duas em construção. Hoje viemos conhecer essa expansão aqui no Alto da Ressurreição e ficamos satisfeitos em ver como espaços ociosos ou subutilizados podem ser transformados para melhorar vidas de famílias, promovendo sociabilidade e qualificação profissional. Esse é um projeto muito exitoso e desejamos que possa ter continuidade”, afirmou.

A secretária municipal de políticas públicas para mulheres, Macilane Gomes, explica que o Amor de Tia é um serviço inovador na capital. “Aqui oferecemos cursos de qualificação profissional e atenção à saúde, serviços de assistência social e cultura e também acesso à educação, já que muitas dessas mulheres deixaram de estudar para trabalhar e cuidar dos filhos. Ao longo dos anos pudemos perceber como esses serviços alteram significativamente a vidas dessas mulheres e isso nos enche de esperança e alegria”, disse.

Gleiciane Sousa, moradora do Alto da Ressurreição e usuária do serviço, trabalha atualmente com venda de bolos. “Esse serviço mudou muito a minha vida, pois aqui, depois de uma oficina que fiz, aprendi um ofício que hoje é minha fonte de renda. Além disso, também aprendi a me cuidar melhor e me relacionar de forma mais positiva com as pessoas”, disse.

A primeira unidade do Amor de Tia foi inaugurada em junho de 2018 e, desde então, em conjunto com as outras duas unidades em funcionamento, atendeu a cerca de 500 mulheres e seus filhos.

Fonte: Redação Ascom